Mudanças na adolescência

Notícias

Mudanças na adolescência

Data da publicação: 13/09/2018 09:57:28

Jovens de 14 a 17 anos, que frequentam os cursos de Aprendizagem Industrial do SENAI Alto Vale, participaram da palestra Mudanças no Comportamento Adolescente e as Competências Chave para o Desenvolvimento Profissional. O encontro aconteceu nas dependências do SENAI, em Rio do Sul, na segunda-feira, 03 de setembro.

A palestrante, Indiara Etelvina Gonçalves, gerente do campus da Unidavi, em Taió, explicou que o objetivo da conversa com os estudantes foi despertar neles uma reflexão sobre as mudanças de comportamento que ocorrem na pré-adolescência e adolescência. "Nós falamos sobre mudanças hormonais, neurológicas e comportamentais. Trabalhamos habilidades que não exigem talento como pontualidade, respeito, iniciativa, foco, fazer mais do que o esperado e, vontade de aprender", disse Indiara.

Os jovens também ouviram explicações sobre as quatro competências essenciais para buscar o desenvolvimento pessoal e profissional: Saber se comunicar, tomar decisões, saber agir frente a situações de agressão e lidar com a timidez. Durante a palestra foi reforçada a importância do respeito pela diferença; as consequências do bullying; o cuidado para não se envolver em situações de risco ou pular fases, tendo que encarar uma gravidez precoce, por exemplo.

"O SENAI desenvolve um acompanhamento individualizado com os estudantes. Observamos os comportamentos e diante de algumas problemáticas, percebemos que havia necessidade de tratar com eles esses contextos apresentados na palestra¿, explicou Marister Patrícia Gonçalves, coordenadora Pedagógica do SENAI Alto Vale. Além de oferecer o conhecimento técnico, a metodologia do SENAI também tem como foco trabalhar as atitudes. ¿Entendemos que eventos assim promovem a reflexão, fazem com que eles amadureçam, o que torna ainda mais interessante a vinda para o SENAI", finalizou Marister.

O final da palestra foi com uma reflexão motivacional sobre a importância de acreditar em si mesmo e cuidar com os rótulos, que às vezes os jovens colocam nas pessoas, dificultando a cooperação e o relacionamento uns com os outros.

Texto de Debora Claudio - Jornalista

Compartilhe nas Redes Sociais